Menu Principal

Paixão mundial, o café é presença marcante na mesa

No café da manhã, depois da refeição, no meio da tarde, não existe um horário pré-determinado, para o consumo do café. Tem quem tome o dia todo e tem quem não goste.

Originário da Etiópia, suas propriedades estimulantes foram descobertas por um pastor, que observou alterações no comportamento de seu rebanho, depois que os animais ingeriram uma plantinha vermelha. O pastor, então, decidiu provar o alimento e logo ficou encantado com seu sabor e aroma. À partir daí, conquistou os países árabes, sendo contrabandeado para a Europa e trazido para o Brasil, onde se adaptou muito bem, ao clima do país.

Palavra derivada do árabe, “gahwa” (aquilo que impede o sono), era consumida em planta, pelo deserto, envolta em gordura animal. Na Turquia, tomou a forma líquida e veio conquistando todos os paladares, até hoje. Uma das principais ações do café, no organismo humano, é ajudar na diurese. A cafeína excita o sistema nervoso central, age sobre o sistema muscular (principalmente sobre o músculo cardíaco) ajuda no rendimento físico e intelectual, aumentando a concentração. Especialistas já estão encontrando outras formas do uso do café, em diversos segmentos como estética, tratamentos de saúde e na gastronomia.

Além de ajudar a conservar a beleza exterior, o café também é usado na medicina. Em dois tipos diferenciados, arábico, intenso e de sabor nobre, e a robusta, com aroma suave, após colhido, torrado e moído, deve ser misturado à água, em filtro de papel, coador, na versão instantânea e a expressa. A bebida contém cafestol e kahweol, substâncias que aumentam o colesterol sanguíneo. Portanto, o mais indicado é que seja consumida filtrada ou coada, pois parte destes compostos ficam retidos no processo de filtragem.
Por outro lado, é indicado evitar o consumo de café expresso, árabe, turco e grego, pois contém alta concentração destas substâncias. O impacto negativo ao colesterol, só ocorre se o consumo for maior do que três xícaras por dia e as calorias são originárias da quantidade de açúcar utilizado.

Na culinária, o café vem sendo utilizado com maior frequência, por seu sabor e aroma inusitado e atrativo. E, não se restringe apenas às receitas doces. Hoje em dia, uma grande quantidade de pratos salgados, também levam esta iguaria, dando um toque especial e extremamente sofisticado ao menu.

A chef Cecília Padilha, do canal Experimente e do blog YesWeeCook, ensina uma receita maravilhosa, de Filé aromatizado com café, que deixará sua refeição deliciosa e requintada.

Receita de Filé aromatizado com café

15 minutos de preparo, mais ½ hora da carne temperada

4 a 5 porções

Ingredientes

1 kg de filé mignon cortado em tirinhas

½ a 1 colher (chá) de café solúvel 3 corações

1 colher (sopa) de farinha de trigo

3 dentes de alho amassados

1 colher (sopa) de manteiga

1 fio de azeite para refogar

1 copo de creme de leite

1 cálice de café expresso ou coado forte

½ a 1 colher de chá de páprica ou curry (opcional)

Cogumelos cortados a gosto

Sal a gosto

Modo de Preparo

Tempere a carne com pimenta do reino, café solúvel e alho. Acrescente farinha de trigo e deixe descansar por 30 minutos (½ hora). Refogue a carne na manteiga com 1 fio de azeite. Quando estiver bem refogada e macia adicione o sal. Acrescente os cogumelos e misture bem. Agora é a hora de colocar o café expresso e o creme de leite. Deixe reduzir um pouco. Corrija o sal. Sirva com purê de batatas.

Dicas:
Só coloque o sal depois da carne bem refogada para não desidratá-la.
Comece com as meias medidas de café solúvel, páprica ou curry, aumente se necessário.

Da mesma forma que o café enriquece a culinária salgada, os doces não ficam atrás. Karina Migliorini, Chef Pâtissier, ensinará um delicioso Creme Diplomata de Café, de dar água na boca, que encantará todos os convidados, em sua recepção.

Creme Diplomata de Café

Ingredientes

BOLO

3 ovos (180g)

1 xícara (chá) açúcar refinado UNIÃO (160g)

1 xícara (chá) farinha de trigo (110g)

1 colher (sopa) Manteiga sem sal amolecida (20g)

1 colher (chá) fermento em pó (4g)

Manteiga sem sal para untar

1/2 xícara (chá) rum (100ml)

1/2 xícara (chá) Água (100ml)

CREME DE CAFÉ

3 gemas (60g)

1 xícara (chá) açúcar refinado UNIÃO (160g)

1 colher (sopa) cheia amido de milho (25g)

2 xícaras (chá) Leite fervente (400ml)

2 colheres (sopa) rasadas café solúvel (8g)

2 colheres (sopa) rasadas Manteigas sem sal (26g)

1 colher (café) essência de baunilha (2.5ml)

CHANTILLY

2 e 1/2 xícaras (chá) creme de leite fresco gelado (500ml)

3 colheres (sopa) Açúcar de confeiteiro UNIÃO GLAÇÚCAR (45g)

1 colher (chá) essência de baunilha (5ml)

MONTAGEM

grãos de café para decorar

Modo de preparo

BOLO

Em uma batedeira, bata os ovos com o açúcar refinado UNIÃO até triplicar o volume. Sem bater, junte delicadamente a farinha de trigo, a manteiga e, por último, o fermento em pó.

Coloque em uma assadeira retangular pequena (25 x 19 cm) untada com manteiga e forrada com papel-manteiga também untado e asse no forno pré aquecido até que, ao espetar a massa com um palito, este saia limpo. Desenforme morno e, depois de frio, corte em cubos de 1,5 cm e umedeça com o rum misturado com a água.

CREME DE CAFÉ

Em uma batedeira, bata as gemas com o açúcar refinado UNIÃO até obter uma gemada clara e fofa. Adicione o amido de milho e, aos poucos, junte o leite e o café. Leve ao fogo brando, mexendo sempre, até engrossar. Fora do fogo, junte a manteiga e a essência de baunilha. Utilize frio.

CHANTILLY

Na velocidade mínima da batedeira, bata todos os ingredientes até obter um creme liso e espesso. Reserve na geladeira até o momento de utilizar.

MONTAGEM

Em copos ou taças para sobremesa, intercale camadas de cubos de bolo, creme de café e chantilly. Com o auxílio de um saco de confeitar com bico pitanga, decore com chantilly e grãos de café.

Fonte: Ana Lima Comunicação

Plaenge