Menu Principal

Alex Hanazaki recebe prêmio internacional ASLA 2017 com a Praça Eliane

O arquiteto paisagista Alex Hanazaki soma mais uma importante premiação à sua carreira com o prêmio ASLA 2017, da American Society of Landscape Archtecture a mais respeitada associação de arquitetura paisagística mundial, fundada em 1899 ̶ concorrendo com grandes nomes internacionais da área. O profissional, considerado um dos grandes nomes da arquitetura paisagística contemporânea no Brasil, conquistou a condecoração internacional com o projeto da Praça Eliane, erguido em uma área de preservação do antigo ambulatório do Jockey Club de São Paulo.

Hanazaki é o primeiro e único brasileiro a receber a premiação que reconhece um dos seus projetos como o mais bonito do mundo na categoria Design Geral. Em 2014 Hanazaki recebeu também da ASLA, o mesmo prêmio, porém na categoria Residencial. Agora em 2017, o projeto premiado, a Praça Eliane imprime equilíbrio entre os traços geométricos da arquitetura e das vegetações, com as funcionalidades dos produtos industrializados. É um espaço contemporâneo em sincronia com o patrimônio tropical brasileiro.

Com mais de 450 m², o projeto instalado no antigo ambulatório do icônico Jockey Club de São Paulo, equilibra elementos industriais com os naturais. Com uso de plantas nativas, de baixo consumo hídrico e manutenção, Hanazaki reforça a brasilidade do espaço, plantando 12 árvores do icônico Pau-Brasil – cultivado em viveiro – em toda área da Praça Eliane. “Inseri os 12 exemplares de Pau-Brasil no espaço, preservando também espécies já existentes. Achei importante enaltecer e valorizar a natureza local, fazendo relembrar a árvore símbolo do nosso país”, explica Hanazaki.

Criar surpresas ao longo do caminho foi outro grande propósito de Hanazaki. Estimulado por diferentes sensações, o visitante ao entrar no espaço era surpreendido por um túnel que, de um lado formado por um imenso jardim vertical e do outro por um grande brise feito com estrutura metálica e porcelanatos, aplicados de forma inusitada, em diferentes tons, como: preto, cinza, bege, nude, off-white e branco. “Propositalmente, a pouca luz do corredor faz com que as retinas dos olhos do público se fechem e então estimulem um sentimento de mistério e expectativa, que ao final do percurso, logo se abra para a contemplação da área externa”, explica.

No ambiente principal, o visitante encontra duas ambientações. À direita, um grande espelho d’água, revestido de seixos negros de porcelanato e cubos do mesmo material, distribuídos em seu interior, propondo o conceito de um caminho sobre as águas, compostos com pequenos jardins flutuantes. Também no seu interior, uma lareira traz o contraponto entre os elementos fogo e água. Já em outra perspectiva, o ambiente propõe a permanência e contemplação do espaço, com bancos revestidos em porcelanato e uma cascata de água, que traz movimento e atmosfera acolhedora.

Em toda a Praça Eliane, a combinação harmônica de cores dos revestimentos propõe um “ton sur tom”, do off-white ao cinza concreto e preto. No pergolado, todos os revestimentos possuem a nanotecnologia Cleantec – exclusiva do Grupo Eliane – que surpreende pela ação que purifica o ar, ajudando a eliminar gases tóxicos que contribuem com o efeito estufa e facilita a limpeza, dificultando a adesão de sujeira nos revestimentos, reduzindo a frequência de limpeza. “A alta tecnologia empregada no revestimento me chamou a atenção pelo processo ser semelhante à fotossíntese, além de eliminar gases poluentes. Como paisagista, fico muito feliz com criação de produtos como esse, que efetivamente contribuem com o meio ambiente”, conclui Hanazaki.

Fonte: Denise Delalamo Comunicação

Plaenge