Menu Principal

Busan, Coreia do Sul é eleito o Melhor Lugar para se Visitar na Ásia em 2018 pelo Lonely Planet

A autoridade em viagem, Lonely Planet revelou hoje sua lista Best in Asia 2018 – uma coleção dos melhores destinos do continente para ano que vem.

Para essa terceira edição do Best in Asiaos especialistas em Ásia do Lonely Planet elegeram a eclética e vibrante Busan, na Coreia do Sul como o destino número um; enquanto a arquitetura sofisticada das cidades antigas do Uzbequistão ficaram em segundo lugar; e em terceiro vem Ho Chi Minh, Vietnã, “uma metrópole que de alguma forma só fica cada vez mais cool.”.

“A Ásia é um continente tão vasto e diverso para qualquer um que sonha com aventura”, diz Chris Zeiher, o porta-voz da Lonely Planet para a Ásia e o Pacífico. “Nossos especialistas analisaram milhares de recomendações para escolher os melhores destinos para os próximos doze meses.”

“De Nagasaki no Japão a Arugam Bay no Sri Lanka. É uma coleção que inspirará uma multidão de viajantes – estejam eles baseados na Ásia, ou sejam pessoas que já visitaram alguns dos pontos principais da região”, diz Chris.

 

  1. Busan, Coreia do Sul

“Uma confluência impressionante de paisagens. cultura e comida: Busan condensa um pacote eclético de atividades para agradar qualquer viajante: faça trilhas que te levam a templos budistas, relaxe em águas termais e se farte com frutos do mar no mar, no maior mercado de peixes do país. Pronta para roubar os holofotes, Busanfoi nomeada Cidade da Cultura do Leste Asiátio em 2018 e estará ainda mais vibrante, com eventos interessantes que expõem a herança cultural do país, de festivais de arte de rua a shows de dança tradicional.”

 

  1. Uzbequistão

“A mudança está chegando em um país que se manteve por muito tempo fechado para o mundo exterior devido ao rígido controle que se seguiu ao fim da era soviética. O Uzbequistão há muito habita a imaginação dos viajantes, com suas mesquitas cobertas de mosaicos e aura exótica da Rota da Seda. Em 2017 o país deu passos importantes para se abrir para o turismo, anunciando esquemas que dispensavam o visto ou vistos online, novas rotas aéreas e extensões em sua malha ferroviária de alta velocidade, o que tornou o acesso às cidades antigas e arquitetura preciosa mais fácil do que nunca.”

 

  1. Ho Chi Minh, Vietnã

“Ho Chi Minh, a metrópole do sul do Vietnã, fica cada vez mais cool. Antigos prédios estão sendo colonizados por brechós e cafés independentes, cervejarias inovadoras estão alimentando uma das melhores cenas de cerveja artesanal do sudeste asiático e um conjunto de casas de show ecléticas estão reforçando a cena musical local. Acrescente esses desenvolvimentos recentes às atrações essenciais da cidade, como o War Remnants Museum, e uma cena de comida de rua pioneira. É… parece que essa agitada megalópole asiática não corre o risco de sair de moda.”

 

  1. Gates Ocidentais, Índia

“Os Gates Ocidentais oferecem um oposto interessante a Shimla e Darjeeling e ainda tem selva, plantações de café, chá e temperos, entrepostos coloniais charmosos, cachoeiras imponentes e um trem a vapor. Essas montanhas rochosas são listadas pela Unesco com um dos lugares com mais biodiversidade no mundo e abrigam as flores neelakurinji, que florescem apenas uma vez a cada doze anos, e pintarão as montanhas de roxo entre agosto e outubro de 2018.”

 

  1. Nagasaki, Japão

“Para muitos, Nagasaki é sinônimo da tragédia atômica de Agosto de 1945, mas, de forma notável, a cidade transformou a catástrofe em um chamado para a paz, exemplificado no tranquilo Parque da Paz de Nagasaki e no Museu da Bomba Atômica. No entanto, a identidade de Nagasaki transcende esse ato violento. Visite o novo museu do comércio exterior, instalado na igreja mais antiga do Japão, ou passe pelo animado porto na direção das trilhas que percorrem as montanhas vulcânicas ao redor.”

 

  1. Chiang Mai, Tailândia

“A antiga capital do Reino de Lanna parece ter saído das páginas de um livro de história. Lá, os visitantes passeiam por barraquinhas de joias antigas que ficam em ruas arcaicas mas, apesar disso, uma população jovem e criativa se instalou em Chiang Mai, trazendo um movimento animado. Ao lado de majestosos chedis (estupas) dourados ficam cafés conhecidos por seus lattes artísticos, restaurantes com grafites nas paredes que se especializaram em cozinha fusion e experimental e o novo e premiado Museu de Arte Contemporânea MAIIAM.”

 

  1. Lumbini, Nepal

“Durante décadas Lumbini era um lugar por onde os viajantes passavam rapidamente no caminho da Índia para o Nepal, muitas vezes sem saberem que haviam passado a metros do lugar de nascimento do histórico Buddha. Mas agora, Lumbini está em ascensão. Um novo aeroporto internacional está sendo construído e oferecerá uma rota nova e mais segura para o Nepal e templos cada vez mais impressionantes estão surgindo. Apesar desses desenvolvimentos, porém, a principal atração da cidade permanecerá sendo sua tranquilidade”.

 

  1. Arugam Bay, Sri Lanka

“Essa cidade litorânea na costa leste do Sri Lanka consegue manter sua calma enquanto turistas lotam as antigas cidadelas e estações de trilha do resto do país. Surfistas de pés descalços relaxam nas portas de cafés veganos. Mas se as águas turquesas não te atraírem, Arugamtambém cultivou ofertas terrestres com bares à beira mar e festivais de música improvisados, além de ser próxima do Parque Nacional Kumana, lar de leopardos, elefantes e crocodilos.”.

 

  1. Província de Sìchuān, China

Vilas isoladas, arranha-céus, pandas gigantes e uma cozinha apimentada: a província de Sichuan é um microcosmos da China moderna. Ganhe perspectiva ao observar o Grande Buddha de Lè Shān Grand, ou escale o Éméi Shān para absolver uma vida de pecados. Viaje na primeira parte do trem Sìchuān-Tibet para visitar vilas tibetanas paradas no tempo, ou testemunhe a infestação de cervejarias e hotéis boutique na cosmopolita Chéngdū.”

 

  1. Parque Nacional de Komodo, Indonésia

“Novas conexões tornaram o Parque Nacional de Komodo mais acessível do que nunca. Além de ver o famoso dragão de Komodo, os visitantes desse arquipélago cercado de cerúleo podem fazer trilhas até mirantes no Padar, relaxar nas praias em Kanawa e mergulhar com uma diversidade absurda de vida marinha nos corais. O nirvana de um entusiasta da natureza.”

 

 

Plaenge