Menu Principal

Quatro ensinamentos que podemos passar para os filhos com a crise politica

Educar uma criança não é uma tarefa fácil, e na busca por fazer o melhor trabalho possível, os responsáveis podem acabar perdendo a direção quando inseridos em um cenário de crise. Com a situação política no Brasil, em que a mídia constantemente apresenta casos de corrupção, problemas econômicos e de violência, fica a pergunta para os pais: “O que podemos ensinar para nossos filhos?”. Em momentos assim, manter a família unida torna-se um grande desafio, mas, segundo o Rabino Samy Pinto, mestre e doutor em Letras e Filosofia pela USP e com especialização em educação em Israel, a situação deve ser encarada como uma oportunidade de repassar aos filhos ensinamentos importantes.

Samy ressalta que os responsáveis devem entender que não atuam como pais apenas na situação de provedores financeiros, mas responsáveis por educar e, além disso, dar bons exemplos nesses momentos de crise de ordem ética e moral. Assim, o Rabino pontuou quatro valores que podem ajudar a guiar o caminho de pais que se encontram confusos sobre como aproveitar a crise política para influenciar seus filhos de maneira positiva.

  • TOLERÂNCIA

A tolerância é um princípio fundamental para uma boa convivência e, ao mesmo tempo, é algo que se encontra cada vez mais distante das relações políticas nacionais, marcadas por discursos de desrespeito e ódio. De acordo com o rabino Samy, esse é um ensinamento que deve começar com exemplos no dia a dia. “Reconhecer o valor no próximo é um fator que caracteriza um grande homem, de acordo com a sabedoria judaica. Os pais devem ensinar os seus filhos a procurar o mérito no outro e respeitá-lo. Ensinar que a qualidade de cada um pode completar o coletivo e que uma nação é a soma das qualidades individuais de seus cidadãos”, explica o rabino.

  • DIÁLOGO

O diálogo aparece como um caminho fundamental na construção social e individual de crianças e adolescentes, pois gera relações de respeito e confiança através do ato de reconhecer a si mesmo no interlocutor e trocar experiências. “Vivemos em uma época na qual não deixamos o outro falar. Interrompemos e atrapalhamos a fala do próximo. Os sábios judeus explicam que Deus criou o homem com dois ouvidos e uma boca para ouvir em dobro. Grande parte dos conflitos familiares, sociais e políticos são fruto da ausência dessa preciosa habilidade de saber ouvir”, comenta o rabino.

  • FORMAÇÃO CIDADÃ

Um dos maiores gargalos em relação às políticas públicas no Brasil está na educação, principalmente, no que diz respeito aos direitos e deveres civis e ao funcionamento da política. “É papel dos pais formar a criança e o adolescente como um futuro cidadão. Passar os valores e ensinar os filhos a ouvir e dialogar com as atuais lideranças, começando em casa com os pais, expandindo para os professores até chegar aos políticos, é fundamental para preparar um bom futuro para o indivíduo e a família. O objetivo da educação deve ser gerar autonomia para que seja possível criar jovens informados e prontos para lidar com diferentes momentos políticos”, comenta Samy.

  • RESILIÊNCIA

Nada melhor do que repassar o valor da resiliência para crianças que se encontram no meio do furacão político que acontece no Brasil. Ser resiliente é ter a capacidade de se adaptar às mudanças e recobrar-se facilmente de situações adversas. “As adversidades e barreiras são algo presente na vida de todos. Muitos personagens da literatura judaica se encontraram em situações de grande adversidade. Um exemplo é José no Egito, que mesmo sendo vendido por seus irmãos e aprisionado, se adaptou a cada situação até alcançar grande importância em grave crise política e econômico da região, e assim salvando muitos de sua nação”, exemplifica Samy.

De acordo com ele, partindo do diálogo e de exemplos diários, pais e mães têm a tarefa de criar filhos que saibam enxergar qualquer situação ruim como uma oportunidade de ser alguém melhor e de gerar impactos positivos. “São dicas simples, mas que podem ajudar os responsáveis a formarem jovens conscientes, sábios e tolerantes, características fundamentais para conviver bem em sociedade”, finaliza.

Fonte: Dezoitocom

Plaenge