Curaçao: uma colorida ilha no Caribe

Curaçao, no Sul do Caribe e ao Norte da Venezuela (70 km), faz parte das chamadas ilhas ABC (Aruba, Bonaire e Curaçao) de colonização holandesa, que possui as ilhas de Santo Eustáquio, Saba e São Martinho. O território de Curaçao inclui outra ilha desabitada denominada Klein Curaçao (“Pequena Curaçao”).

Em 10 de outubro de 2010, Curaçao e São Martinho ganharam uma autonomia e se juntaram a Aruba, que, em 1986, ganhou status de Estado individual, enquanto Bonaire, Santo Eustáquio e Saba tornaram-se municipalidades dos Países Baixos. Segundo os novos estatutos, quatro países agora formam o Reino dos Países Baixos, que é responsável pela segurança e relações internacionais dos seus países-membros: Países Baixos, na Europa; Aruba, São Martinho e Curaçau, no Caribe.

A ilha de Curaçao tem uma história longa, interessante e complexa para contar quando mergulha-se em sua história e patrimônio. Com um passado surpreendente, colorido e vivo, pode ser apreciado em diversos museus, fortes, galerias, casas e outros locais históricos.

A bela Baía de Santa Anna divide Willemstad em dois grandes distritos: Punda (Leste) e Otrobanda (Oeste). Quando os holandeses capturaram a ilha da Espanha, em 1634, Punda (de “punta”, ou “a ponta” em papiamento/espanhol) nasceu. Os novos líderes passaram a construir um forte – Forte Amsterdam – para proteger seu assentamento e logo a cidade começou a se expandir.

Hoje, o monumento serve como a sede do Governo. Junto aos locais – conhecidos como Columbusstraat, Madurostraat e Handelskade (“Rua do Comércio”) -, os mercadores neerlandeses protestantes construíram seus conjuntos de escritórios, lojas, armazéns e moradias. O projeto básico desta área, com suas ruas estreitas e retas, ainda mantém seu caráter original.

Estabelecida em meados dos anos 1600, o conjunto de estruturas em Willemstad lembram o charme dos pitorescos designs de Amsterdã, com requintadas construções coloniais neerlandesas do século 17 e 18 que não se encontram em lugar algum, com exceção dos Países Baixos.

Com o tempo, ao passo que os estilos tradicionais de Willemstad eram modificados para se adaptar à brisa e ao clima seco da ilha, toques caribenhos foram adicionados como varandas, alpendres, arabescos e persianas.

Curaçao tem um ritmo notável, que pode ser melhor apreciado na mistura de suas muitas línguas. Embora o holandês seja o idioma oficial, inglês e espanhol são também muito falados, os moradores falam papiamento – uma mistura crioulo Africano, Espanhol, Português, Holandês, Francês e Inglês.

Pratos típicos são oferecidos com um toque de uma gastronomia internacional que mescla a comida asiática, holandesa, italiana, mexicana, indiana. São servidas carnes, muito fruto do mar, legumes, a iguana, entre outros.

Praias

Quase todas as praias de Curaçao estão localizadas na costa protegida e calma do sudoeste, onde as águas são calmas e claras. Em algumas há uma taxa de admissão que às vezes inclui cadeira de praia. Embora não seja comum, nem seja prática aceitável em todas as praias, é possível ver visitantes europeus fazendo topless durante seus banhos de sol. Não está permitido pela lei, mas é tolerado em quase todas as praias.

Avila’s Beach: localizada dentro do espaço do hotel Avila Beach, com localização central e está situada no bairro de Pietermaai (perto do Mega Pier). Possui duas praias privativas.

Blue Bay Beach: A Praia do hotel Blue Bay é extensa e com sombra exatamente no oeste norte de Willemstad, em Sint Michiel, com muitos serviços.

Boka St. Michiel: Pequenos barcos podem ser vistos na baía neste tradicional povoado de pescadores ao oeste da cidade.

Caracasbaai: A praia conta com areia grossa e pedrinhas e é popular para fazer snorkel e mergulho porque está dentro de um parque marinho.

Cas Abao Beach: oferece praias com areia fina, águas claras como cristal, palmeiras balançando e muitos gazebos para descansar à sombra.

Jan Thiel Beach: é o local certo para se estar! Descansar em uma espreguiçadeira e desfrutar da formosa baía aberta, é algo exclusivo. Para quem gosta de snorkel ou mergulhar, também vale a pena.

Jeremi: Praia estreita e colorida. Famosa pelo lindo pôr do sol, além das águas claras.

Kenepa e Kenepa Grandi: Possui duas formosas aberturas rochosas e são as duas praias mais populares da ilha. Frequentada por moradores e turistas. Tem estrutura com estacionamento e restaurante.

Kokomo Beach: Praticantes do snorkel e mergulhadores não terão problemas na hora de ignorar a escassa areia, entrada pedregosa e a falta de sombra nesta colorida abertura no lado oeste da cidade.

Playa Forti: a paisagem em cima desta praia parece saída de um cartão postal, com os barcos de pesca e o panorama do lado oeste da ilha.

Como Curaçao é uma ilha, esportes aquáticos são muito praticados por lá. São oferecidas desde passeios com jetski, banana boat, ski aquático, tubing, wake boarding, knee boarding, passeios de barco e de kayaki, boiacross e snorkel.

Além disso a ilha tem muitas opções para se divertir, confira algumas:

Tour: Tour a pé pelo Centro de Willemstad para apreciação da arquitetura. Explore Curaçao através de SUV ou barco, ou faça uma combinação de dia inteiro com a Captain Boots! Você vai desfrutar da privacidade das viagens enquanto o seu guia explica os meandros da bela Curaçao!

Cueva Di Hato : Um dos passeios fora dos roteiros que envolvem sol e praia é uma visita ao complexo de cavernas Cueva di Hato, cheio de estalactites, estalagmites e várias formas que flama a imaginação dos turistas. A Cueva di Hato foi formada embaixo do nível do mar há milhões de anos. Na Era do Gelo e o nível da água afundou e surgiu Curaçao. A caverna tem uma área de 4900 metros quadrados e é a casa das famosas formações de calcário, românticas piscinas, cataratas e a conhecida estatua da Madonna (Nossa Senhora). Dentro da caverna há uma colônia de morcegos de nariz cumprido e que comem frutas. Fotos não são permitidas, exceto em espaço com orientação do guia.

Curaçao Sea Aquarium: O Curaçao Sea Aquarium oferece show com golfinhos, além de uma gigantesca estrutura educativa sobre a vida marinha da região. É o único no mundo com sistema de águas abertas, o que significa que a água do mar é bombeada permanentemente para dentro do aquário.

Animal Encounter: lugar onde é possível nadar e mergulhar com arraias e peixes, além de dar comida para tubarões e tartarugas. Toda a estrutura de piscinas é com água do mar e separada em ambientes, mas com circulação. Os golfinhos não são de cativeiro, mas de alto-mar, ou seja, vão e vem livremente.

Curaçao Museum: O museu está localizado na parte oeste de Otrobanda, o prédio do Museu de Curaçao tem um estilo colonial com um ar de autenticidade à primeira vista.

Den Paradera: Museu que conta a história das ervas medicinais. Em 1981 Dinah Veeris começou sua pesquisa sobre ervas e tradições entrevistando pessoas idosas para recuperar e preservar os segredos do conhecimento das gerações anteriores.

The Fort Church Museum: A igreja do forte é a igreja mais velha na ilha (1769), um monumento dentro das paredes da Forte Amsterdã. Kura Hulanda Museum: Um museu que conta a história da diáspora forçada dos africanos desde a África até as Américas e Caribe pelos Europeus desde os séculos 17 e 19. Landhuis Groot Santa Martha: Uma das maiores e mais velhas vilas de Curaçao foi construída nos fins do século 17. The Rif Fort Museum: O Rif Fort é parte do centro histórico de Willemstad, que é elencado na Lista de Patrimônio Mundial da UNESCO.

Para informações sobre planejamento de viagens ligue para
Jefferson de Almeida Turismo e Eventos:67 3327-0134 ou 3326-2909, 98425-6330