Metas para 2022: manter a saúde mental

Estabelecer metas é uma das muitas tradições que antecedem a chegada do ano novo e, quase sempre, a vida profissional está incluída nesta lista. No entanto, após quase dois anos de pandemia e a popularização da síndrome de Burnout, a prioridade se tornou outra: manter a saúde mental. E como garantir isso sem deixar de apresentar bons resultados?

De acordo com o filósofo clínico Beto Colombo, dividir papéis existenciais é um dos pontos principais quando se relaciona sucesso e qualidade de vida.

Dividir Tarefas

“A mesma pessoa que é mãe, filha, religiosa, esportista, passa a ser empresária, executiva ou secretária quando chega ao seu local de trabalho. Em cada papel existencial que vivemos podemos ter uma velocidade diferente e é importante dividi-los para evitar que a nossa velocidade no trabalho, por exemplo, atropele as coisas em casa, como mãe, filha ou até esposa, se o companheiro tiver um trabalho que exige outro ritmo”, inicia.

A segunda dica compartilhada pelo filósofo é saber dividir o tempo de cada tarefa de acordo com sua prioridade e ter disciplina para respeitar seu próprio planejamento.

Dividir Tempo

“Se você trabalhar de 8 h às 18 h e tiver 10 tarefas para fazer, pode separar três e eleger a mais urgente para resolver naquela semana ou dia. Mas é importante não se distrair com coisas aleatórias durante esse período, levando em consideração o horário de almoço e lanches da manhã e tarde, para evitar ter que cumprir o papel de trabalhador por mais tempo. E o contrário também ajuda, como evitar falar de trabalho durante a refeição”, afirma.

A terceira, mas não menos importante, dica de Beto Colombo é tomar cuidado com metas utópicas: “Não estabeleça metas impossíveis de serem alcançadas, se não irá acabar desanimando, estressando”.

Metas Impossíveis 

A busca pela meta impossível pode causar esgotamento extremo e é aí que pode surgir a Síndrome de Burnout, a meta é não ter meta e fazer o que está no nosso alcance, explica Beto Colombo.